“Uma pesquisa divulgada recentemente pela InfoMoney, mostrou que é 153% mais caro alugar uma área em regiões comerciais no Rio de Janeiro do que em Nova York.”

Em regiões metropolitanas a tendência é que os imóveis sejam cada vez mais caros, menores e o trânsito cada vez mais caótico. Como resultados desse novo cenário observamos o crescente número de empresas que estão permitindo que seus colaboradores atuem por meio de novos modelos de trabalho, como o home office integral ou parcial com escritório virtual ou co-working. Assim, ao mesmo tempo em que otimiza o espaço, possibilita que seus funcionários aproveitem melhor o seu tempo para focar em suas atividades, uma vez que não precisam se deslocar até o trabalho enfrentando o trânsito caótico e fazem seu próprio horário.

E, quando pensamos nesses modelos recentemente disponibilizados, como o advogado pode saber qual é o mais adequado para ele? Confira abaixo nossas dicas e tire sua própria conclusão:

Escritório virtual para advogados

O escritório virtual é uma opção para advogados que precisam de um endereço empresarial para contato, mas não necessariamente que esse endereço seja seu local de trabalho, podendo trabalhar em casa ou até mesmo alocado em clientes. Neste tipo de solução, atividades comerciais como atendimento telefônico, transferência de chamados, endereço para registro da empresa e correspondências, são contratados como um serviço. Os escritórios virtuais, normalmente, podem ser complementados com a disponibilidade de salas para reuniões e até auditórios para necessidades pontuais.

Para quem procura por apoio de secretariado e aluguel de espaços para reuniões eventualmente – o que dá um ar mais profissional, mesmo no caso de advogados que trabalham em casa – o escritório virtual é a solução certa. O fato de os recursos serem contratados em formato de serviço, e compartilhados entre outras empresas, os torna muito mais viável para pequenos negócios e advogados autônomos.